terça-feira, novembro 09, 2010

Críptico (updated)

A vida corria calma, nem bem nem mal, apenas corria. Isto não tem nenhuma qualidade inerente, mas a falta de defeitos era agradável. Há que prefira arriscar e passar mal do que ficar na sua. Eu não.
Mas as coisas descarrilaram, como um acidente em câmara lenta o despiste deu-se, calmamente e sem alarmes. Nem me apercebi. Na monótona confusão dos dias envolveram-se vários despistes e nem dei conta, parecia que a minha condução era descontraída e perfeita. Agora que bati contra um muro de betão percebo que não. Tudo estava descontrolado e eu não me segurei como deve ser, sinto o impacto e não posso fazer nada. Nem insultar os outros posso porque não tenho a certeza de que a culpa não seja também minha, e é com toda a certeza, pelo menos uma parte dela.
O pior é que não tirei a matrícula dos envolvidos. Não tenho seguro contra este tipo de acidentes e mesmo que tivesse não é nada que tenha arranjo.


Tenho que sair e apanhar o para-choques do chão, talvez o choque não tenha sido assim tão grave, já tive piores. É por isto que não gosto de velocidades.


PS: Não, não bati com o carro. Não, não tive nenhum acidente de viação ou de outro género qualquer que envolva veículos motorizados. O muro não é real. Obrigado pela preocupação mas não precisam de me contactar para ver se está tudo bem.

4 comentários:

Nessie disse...

Gostei!
Mas discordo num aspecto. Com ou sem culpa no cartório, acho que podes sempre insultar alguém ihih

Sabe melhor! :p

Ana 100 Sentidos disse...

A analgia foi perceptível.

Ana 100 Sentidos disse...

*analogia

cmfm disse...

Analgia? Mau. Ainda bem que houve correcção senão íamos já ter que nos chatear.