quarta-feira, fevereiro 27, 2008

Into the Wild





Desde há já algum tempo que este filme estava na lista de filmes para ver. Devido à história que conta e à banda sonora que tem.
Após a dica da filha do vento decidi que após os filmes dos oscares este subiria para o topo da lista de filmes para ver. E vi.
O filme não é grandioso, as interpretações não são míticas, e acho até que a nomeação recebida para melhor actor secundário não é de todo merecida, mas ainda assim as personagens são acima de tudo humanas, e acho que é isso que se pretende no filme. O filme também não é uma obra de referência no cinema, nem vai ser recordado como um filme brilhante.
O que fica do filme é a história, que ela própria não seria algo de surpreendente caso não fosse real, mas é, e isso faz toda a diferença. O filme impressiona pelo que alguém real de pele e osso fez, passou, e viveu. Talvez porque também eu gosto de “de andar sem rumo” o filme me tenha, em determinados momentos, feito pensar e achar que está retratado ali algo mais do que mais um personagem de um filme.

Um filme que dirá pouco ou nada a muitos, fará pensar alguns e marcará poucos, mas esses poucos, de forma indelével.

A banda sonora, que eu já conhecia, e que por ser apreciador do música do senhor talvez seja tendencioso, é brilhante.



1 comentário:

Filha do Vento disse...

bela review!

a banda sonora é mesmo brilhante.