terça-feira, janeiro 04, 2011

Causas

Com a entrada de 2011 e o IVA a subir para 23% juntamente com o aumento do preço do barril do petróleo nos mercados internacionais (or so they say) o preço dos combustíveis disparou e deu-se um pequeno clic nas pessoas. Neste momento o movimento para a redução dos preços dos combustíveis no FB conta com mais de 45mil "likes" sendo que mesmo assim parece-me muito pouco para algo que afecta tanta gente, mas ao mesmo tempo até acho normal, mas isto é outra conversa.
Algo que me chama a atenção é o facto de se querer fazer um "boicote" às principais gasolineiras nacionais de Janeiro a Abril, ou seja, um protesto com um fim, como se após Abril tivesse-mos que irremediavelmente que voltar a abastecer os nossos veículos nas marcas visadas pelo protesto. Pessoalmente não me lembro da última vez que tive que abastecer o carro numa das marcas em causa, nem com cartões de desconto, nem nos dias da semana escolhidos para que a coisa saia mais em conta. Pura e simplesmente deixei de os utilizar, porque é uma escolha tão simples que não deveriam ser precisos grupos para chamar a atenção para tal facto.

Quem mora perto da fronteira recorre a Espanha, quem mora demasiado longe escolhe o que tem à disposição, sendo que normalmente o português é tão lambão que prefere encolher os ombros e meter gasosa no posto da Galp mesmo ao pé de casa queixando-se depois de que são uns chulos do que fazer 20km para abastecer num posto de marca branca. E a conversa de que não compensa é para quem nunca fez uma simples conta de cabeça, sendo que a conversa de que o combustível das marcas "premium" é melhor é para quem não pensa coma cabeça sequer.

Eu vou aderir à causa, já tinha aderido faz mais tempo do que aquele que me lembro, gostava é que mais do que uma causa momentânea o objectivo fosse consciencializar os portugueses para as escolhas que fazem, e a forma em como isso os afecta a eles próprios.

1 comentário:

Ana Lisboa disse...

Essa é uma causa perdida meu amigo.
Infelizmente a grande maioria dos portuguese não pensa muito, não sei se plea ditadura, se pelos fracassos do país, se pela educação, se pelo quer que seja, a verdade é que é mais fácil continuar a viver a vidinha morna do que pensar sobre ela.
Daí a Galp ao pé de casa, os boicotes só até Abril and so on, and so on.
Portugal no seu melhor...